quinta-feira, 3 de março de 2011

O Discurso citado (I) - 8º Ano

Para escrever com expressividade

O discurso citado (I)

Leia o anúncio:


  1.  Há, no anúncio, duas frases iguais, mas com sentidos diferentes.



a)      O que a frase “O sonho acabou” significa, considerando-se que foi dita em 1970 por John Lennon, integrante dos Beatles?
b)      O que a frase “O sonho acabou” significa, considerando-se que foi dita por Paulo Cruz, um padeiro?
2.       Como você vê, o sentido de um enunciado não depende apenas de seus elementos internos, isto é, das palavras e da ordem sintática dessas palavras, mas também de fatores externos. Conclua: Que outros fatores contribuem para construir o sentido dos enunciados.


2.  Observe este trecho:
“Um motorista abaixa o vidro, puxa o dinheiro 
e pede ao menino que, por favor, lhe de um jornal.”

No trecho, a voz da personagem não aparece integralmente. O narrador é quem conta como foi o diálogo. Reescreva na forma direta a frase dita pelo motorista, isto é, do modo como ele provavelmente a disse na situação contextual. Como você acha que foi a fala do motorista? Escreva-a em seu caderno e invente uma fala para o menino também.

1.     3.  A reprodução integral de diálogos no texto lido não ocorre por acaso; ela tem uma função.
a)      Faça uma experiência: recorte essa história a um colega, passando as falas para a forma indireta. Você, fazendo o papel de narrador, é quem contará ao colega o que as personagens disseram.
b)      Compare o texto original com o texto que você produziu. Qual deles é mais expressivo? Qual é mais divertido?
c)       Conclua: qual é a finalidade de reproduzir integralmente as falas das personagens num texto ficcional?


No discurso direto, a fala das personagens é reproduzida integralmente no discurso narrativo, conservando sua forma de expressão: tempo verbal, pronomes, etc. ele é geralmente introduzido por travessão ou delimitado por aspas.

No discurso indireto,  a fala das personagens é reproduzida pelo narrador, o que provoca nela alteração quanto a pessoa, tempos verbais e pronomes e o emprego das palavras que e se.

A escolha de um tipo de discurso ou de outro depende do tipo de texto que se produz e da finalidade que o autor tem em vista.
Numa anedota, por exemplo, o uso do discurso direto torna a narração mais dinâmica e viva e, assim, mais divertida. Por outro lado, quando contamos oralmente a alguém uma conversa que tivemos com outra pessoa, geralmente tendemos a empregar o discurso indireto, pois reproduzir todo o diálogo pode tornar nossa narração longa e cansativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário