domingo, 19 de junho de 2011

Substantivo 1º Ano

Leia este poema de Mário Quintana, que iniciou a publicação de seus poemas na imprensa a partir de 1920. Seu trabalho constitui uma inquietante busca de formas diferentes de expressão, o que o fez encontrar uma linguagem cada vez mais lírica e própria.

Texto 1
Segunda canção de muito longe

Havia um corredor que fazia cotovelo:
Um mistério encanando com outro mistério, no escuro...

Mas vamos fechar os olhos
E pensar numa outra cousa...

Vamos ouvir o ruído cantado, o ruído arrastado das correntes no algibe,
Puxando a água fresca e profunda.
Havia no arco do algibe trepadeiras trêmulas.
Nós nos debruçávamos à borda, gritando os nomes uns dos outros,
E lá dentro as palavras ressoavam fortes, cavernosas como vozes de leões.
Nós éramos quatro, uma prima, dois negrinhos e eu.
Havia os azulejos reluzentes, o muro do quintal, que limitava o mundo,
Uma paineira enorme e, sempre e cada vez mais, os grilos e as estrelas...
Havia todos os ruídos, todas as vozes daqueles tempos...
As lindas e absurdas cantigas, tia Tula ralhando os cachorrros,
O chiar das chaleiras...
Onde andará agora o pince-nez da tia Tula
Que ela não achava nunca?
A pobre não chegou a terminar a Toutinegra do Moinho,
Que saía em folhetim no Correio do Povo!...
A última vez que a vi, ela ia dobrando aquele corredor escuro.
Ia encolhida, pequenininha, humilde. Seus passos não faziam ruído.
E ela nem se voltou para trás!

Mário Quintana

1. No poema, o eu lírico retorna à infância embalado pelas recordações do passado, que é evocado em uma linguagem subjetiva. Na primeira estrofe, ocorre-lhe a imagem de um corredor. Explique por que ele diz que o "corredor fazia cotovelo" e era um "mistério encanando com outro mistério".
2 A partir da segunda estrofe, o eu lírico continua a convocar o leitor a acompanhá-lo em suas novas lembranças.
a) Que palavra marca a oposição de conteúdo entre a primeira e as demais estrofes? que sentido ela expressa?

b) por que a lembrança inicial do corredor é diferente das novas recordações que se desenvolvem nas próximas estrofes?

3. As evocações chegaram trazidas por ruídos que o eu lírico vai identificando pouco a pouco.
a) Na sua opinião, o que representam os ruídos na construção dos versos da segunda estrofe?

b) O que podia representar o "muro do quintal" a infância do eu lírico?

4. Observe que, ao relembrar o passado, o eu lírico emprega determinado tipo de palavras para nomear os seres de sua infância. entre elas há as que nomeiam pessoas, animais e plantas; outras se referem a coisas cncretas ou abstratas (ações, sentimentos etc.). Separe as palavras nessas cinco categorias.

 Texto 2
 
Pombo-correio leva celular para presos

 A polícia da cidade paulista de Sorocaba apreendeu nas imediações da penitenciária Danilo Pinheiro dois pombos-correio que carregavam peças de telefones celulares. O primeiro foi capturado por um agente penitenciário que achou o corpo da ave, pousada num fio elétrico, volumoso demais. Os pombos-correio sempre voltam ao lugar onde nasceram - por isso, a polícia acredita que eles tenham nascido na prisão e foram treinados fora dela para transportar, da rua para dentro dos muros, celulares e chips.
1. A Nota jornalística relata um dos maios ilegais utilizados pelos presos para terem celular na prisão, em São Paulo. que fatos mais surpreendem você nesse texto?

2. Observe as palavras destacadas nestes pares de frases do texto.
"...apreendeu nas imediações da penitenciária Danilo Pinheiro..."
"...foi capturado por um agente penitenciário..."
  • Qual é a frase em que a palavra destacada nomeia o lugar e representa um substantivo?
"...carregavam peças de telefones celulares..."
"...leva celular para presos..."

  • Qual é a frase em que a palavra destacada nomeia o objeto e, portanto, é um substantivo?

3. Observe estes substantivos encontrados nos textos lidos: Sorocaba, penitenciária e mistério. Compare a formação e o significado que representam e explique o que você concluiu sobre eles.


2 comentários:

  1. A 1 DO TEXTO 1 , NÃO ENTENDI BEM , SÉRIA QUE O CORREDOR FOSSE NEGRO E POR ISSO UM MISTÉRIO , POIS NÃO O ENXERGAVAM NO ESCURO ... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK AJUDA AE NESSA 1 ?

    ResponderExcluir