terça-feira, 6 de setembro de 2011

quem conta um ponto aumenta um ponto II

Jéssica


Uma viagem de férias, tudo que eu precisava naquele momento. As férias dos meus sonhos com tudo que eu tenho direito, quase não dava para acreditar. Mas eu já estava dentro do avião e tinha decolado.

Um comentário:

  1. Não tinha como voltar atrás. Eu já estava ali, dentro daquele voo. Ia voltar pra Nova Iorque. Minhas férias nem haviam chegado na metade, mas eu tinha que ir.
    Nas minhas férias de verão, fui pra casa dos meus pais. Fazia faculdade de Música na Julliard. E então decidi visitá-los na Califórnia.
    Foi uma surpresa pra eles, pois eu não havia avisado. Depois tudo, voltava a vida rotineira com 'família unida' novamente.
    Minha mãe sempre estava com a tia Grey, as duas batiam altos papos. Papai jogava golfe com tio Warly. Cathy sempre estava estudando. O tempo inteiro. E apesar de ser muito na dela, éramos unidas e ela era uma boa irmã.
    Bem, tudo estava no devido lugar, assim como eu deixei.
    Decidi então fazer uma visita para minha melhor amiga, Elizabeth. Depois de algumas converças, fomos tomar sorvete. Nós dizíamos que a Sorveteria do Tom, era 'nossa'. "Ah se as paredes desse lugar falassem", sempre dizia Lissie. O lugar realmente tinha boas lembranças.
    De repente, John Myler passou pela porta do lugar, e tudo mudou. Eu quis ir embora no mesmo instante, mas Lissie não deixou. John era meu ex-namorado.
    No final do terceiro grau, eu havia passado para a Julliard, e enfim, iria fazer o que eu mais amava: Tocar piano. A música sempre se moveu dentro de mim como nenhuma outra coisa. Eu sempre soube que era o rumo que eu queria pra minha vida.
    Mas havia o John. A gente namorou dois longos anos. E quando eu contei a ele sobre a faculdade, ele ficou muito chateado. Não quis olhar na minha cara durante uma semana. Até que eu fui a casa dele, e a gente conversou como duas pessoas civilizadas. Não adiantou muita coisa, mais pelo menos, ficamos na paz.
    Eu fui pra Nova Iorque, e ele foi fazer faculdade no Texas. No começo foi difícil, porque infelizmente existe essa coisa, chamada ‘saudade’. Mas depois acostumei.
    John andou lentamente pra perto de onde eu estava, e quando me viu acenou com a mão. Lissie riu de mim como sempre fazia. Ela dizia que eu e ele éramos apaixonados um pelo outro. E minha reação sempre era de um beliscão nela. O que tornava as coisas mais fáceis pra mim. Decidi ir embora logo. E para minha salvação chegou Brad, namorado de Lissie.
    No caminho de casa encontrei a mãe de John, tia Regina. Ela sempre dizia que fazia questão de ter uma nora como eu na sua família. E mesmo depois do término do namoro, ela sempre me ligava chamando pra algum jantar ou coisa parecida. E eu sempre dava minhas desculpas, tudo pra não ver John. Mas dessa vez, eu tive que ir, não tinha desculpas nenhuma no mundo que a convencesse.
    A noite chegou e lá estava eu, entre a faca e o facão. Foi à coisa mais angustiante que aconteceu no verão: Estar frente a frente com meu ex. Pra piorar as coisas, tia Regina passou mal e foi pra cama cedo, e lógico, que o seu marido a acompanhou. Ficando somente nós dois.
    John disse que queria conversar comigo sobre nós dois. E ele começou dizendo que sentia saudade. Que ainda gostava de mim. E pra finalizar me chamou pra fazer uma viagem de férias com ele. Ele pediu pra voltar. Era tudo o que eu precisava. “Porque Lissie sempre tinha razão?”, foi o que eu pensei no momento. Eu ainda gostava dele, e por sinal, ele também sentia o mesmo.
    Não sei o que deu em mim. Falei que eu ainda gostava dele. Que o que eu mais queria era essa viagem com ele. Mas recusei. Recusei a viagem dos meus sonhos com John. Expliquei a ele que namorar a distância não dava certo, e se eu fosse nessa viagem, quando ela terminasse, nós iríamos sofrer. Ele até que reagiu bem. Ficou bem decepcionado, mas disse que no final a gente se encontrava por ai, afinal só faltavam três anos pra terminar a faculdade. Ele me deixou em casa e nos despedimos.
    No outro dia fui comprar as passagens pra ir de volta pra Nova Iorque. Disse pra minha família que tinha que resolver umas coisas da faculdade e fui.
    E agora estou eu, aqui nesse avião, na metade do trajeto. Com apenas lembranças, das minhas ‘férias de verão inacabadas’!

    Jéssica Karolline :)

    ResponderExcluir