quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O DISCURSO CITADO NOS TEXTOS JORNALÍSTICOS - 9º ANO


No Rio, tubulação se rompe e esgoto inunda sebo e livraria
Felipe Werneck / RIO -                                                               

Jorrou esgoto do teto por 13 horas anteontem dentro do sebo Berinjela e de uma das mais tradicionais livrarias do Rio, a Leonardo da Vinci, que funciona desde a década de 1950 no subsolo do Edifício Marquês do Herval, na Avenida Rio Branco, centro da cidade. "Foi uma coisa dantesca. Não é ficção. Era uma cachoeira", disse ontem Milena Duchiade, gerente da livraria. O estrago foi bem maior no sebo vizinho, com acervo de 28 mil livros, mas o prejuízo nos dois casos ainda não foi calculado.
Por causa do risco de curto-circuito, a sala da livraria foi interditada pela Defesa Civil e não abriu ontem. No sebo, ainda escorria um filete do teto. Os irmãos Daniel e Silvia Chomski, donos da Berinjela, que funciona no local há 15 anos, contaram que ainda não tiveram coragem de ver a situação dos cerca de 20 mil livros estocados na sala dos fundos, a parte mais atingida. "A gente gosta de livro. Estou com medo de ir lá dentro. Foi o caos", disse Silvia. Eles correram para tentar salvar parte dos 8 mil livros e centenas de CDs e DVDs expostos nas estantes.
Preciosidade da casa, a primeira edição em francês de O Mito de Sísifo (1942), de Albert Camus, assinada pelo autor, escapou por sorte. "Graças a Deus, vendi na semana passada", afirmou Daniel.
Ele afirmou que os técnicos da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) demoraram 4 horas para chegar ao local. "Uma atendente chegou a dizer que o prazo era de 72 horas."
A Cedae informou que, após uma vistoria, técnicos constaram que acima da laje da galeria do condomínio há uma tubulação de esgoto que não é ligada à rede. "A tubulação está corroída e não leva o esgoto a lugar nenhum. Dessa tubulação, vazou o esgoto que inundou os dois estabelecimentos", informou a companhia, responsabilizando o condomínio, que foi notificado.
Já o síndico, Elídio Moreira, culpa a Cedae pelo vazamento. Segundo ele, por falta de manutenção houve retorno do esgoto da rua pela tubulação. 
(O Estado de S.Paulo, 10/06/2010.)

Um comentário: